Novidades Ecológicas

Salvador – Terra dos sabores e cores

Que o senhor do Bonfin abençõe os Baianos, pois aqui é o paraiso dos sabores!

Hoje nosso primeiro dia de Brasil e pelo visto caí na terra certa.

Gostaria de anunciar nosso guia virtual do turismo ecológico

Depois de muitas pessoas perguntando onde comprar, onde encontrar produtos vivos e também para solucionar o problema de que algumas pessoas não estavam encontrando os produtos que usamos em nossos livros de receitas, vamos personalizar para cada região. Sempre que visitarmos um novo lugar vamos criar uma lista personalizada dos:

1) Mercados onde encontrar produtos locais
2) Ingredientes locais
3) Restaurantes vegetarianos
4) Lojas de produtos naturais
5) Produtores locais e orgânicos quanto existir
6) Imitação de pratos regionais na versão viva.

Nossa primeira parada: SALVADOR

1) Mercados onde encontrar produtos locais

Mercado São Joaquin

Um local extraordinário para encontrar muitos produtos locais, orgânicos, frescos e de produção local.


2) Ingredientes locais
Ervas medicinais dos orixas na alimentação ecológica


Obs:
Não usamos ervas medicinais por terem supostamente poderes medicinais, mas simplesmente por ser um alimento, fresco, orgânico, local e repleto de energia vital e de baixo custo e de grande quantidade de nutrientes por serem selvagens.

Porém existe risco, leia o artigo abaixo com atenção antes de usá-las.

Próximas dicas (apenas para quem adquiriu nossos livros de receitas)
Pessoas que adiquiriam nossos livros de receitas irão receber como material de atualização:


1)   Biri-biri
2)   Tamarino
3)   Jaca de Pobre
4)   Anís
5)   Sementes de erva doce
6) Tapioca viva
7)   Barra de cereais para:
-Desportistas

-Pessoas que estão viajando
-Pessoas que não querem perder peso com um menu ecológico
-Pessoas que estão buscando uma doses extras de proteína

8)   Canela
9)   Azeite de coco e azeite de dendê
10)   Pimentas
11)  Alpiste

Uso de Ervas “medicionais” na culinária ecológica

O grande problemas de usar uma erva medicional na forma viva é você usa a planta toda, no chá somente de 0,3% a 1%

A vatagem é que os alcalóides estão diluídos por se usarem cozidas, a desvantagem é que os nutrientes são muito menos por estarem oxidados pelo o calor. No caso de cosumirem em sucos, saladas, molhos você usa 99% e sua diluição deverá ocorrer para evitar o risco de intoxicação. A diluição será feita consumindo a erva que previamente já está testada e confirmada que não é tóxica, será misturada com outros ingredientes, amenizando o gosto e os efeitos de uma possível alergia.

A grande vantagem das barraquinhas de ervas medicinais é que você pode tirar uma grande preocupação se a erva é coméstivel ou não. Claro que você não deveria confiar 100% pois o feirantes podem estar vendendo gato por lebre, ou seja vendendo qualquer mato como planta medicinal. Outro fator importante é que mesmo que seja comestiível você deveria seguir os conselhos abaixo afim de evitar problemas.

Cuidados que deve ter ao provar uma nova erva:

Nunca usar em um suco pela primeira vez. Pois se ela for tóxica ou se você é alérgico a intoxicação será mais intensa.

A) Coloque em uma parte do seu corpo onde não tem pêlo. Ex: Lado de dentro do braço, oposto do cotovelo ou pescoço.

Ficou vermelho?

Sim: não use
Não: Passo B

B) Mastique um pedacinho

Tem gosto amargo? Sua ligua está cossando? Inflamou ou ficou vermelha?

Sim: não use
Não: Passo C

C) Mastique um pouco mais e coloque debaixo da língua.

Tem gosto amargo? Sua ligua está cossando? Inflamou ou ficou vermelha?

Sim: não use
Não: Passo D

D) Use em uma salada, muito pouca quantidade, muito pouco mesmo, aumente a quantidade gradativamente

Atenção somente faça o passo D) com alguém mais em casa que tenha um carro. Você pode ter que ir a um pronto socorro.

Garganta fechou? Teve náuseas? Teve diarréia?

Sim: não use (se a garganta fechou procure um centro médico urgente.)
Não: Passo D

D) Use no suco verde muito pouca quantidade, muito pouco mesmo, aumente a quantidade gradativamente

Garganta fechou? Teve náuseas? Teve diarréia?

Sim: não use
Não: Passo E

E) Use no suco de luz muito pouca quantidade, muito pouco mesmo, aumente a quantidade gradativamente

Garganta fechou? Teve nauseas? Teve diarréia?

Sim: não use
Não: Esta planta não é alérgica ou tóxica.

Fruta Cacau (será melhor detalhada na lista de atulização de nossos livros, com tabelas nutricionais e uma análise completa dos benefícios e mais 20 receitas)

Como fazer um chocolate vivo?

Opção 1

1º Compre 10 frutas de cacau frescas (R$2,00) me vendeu por R$1,00 cada.

2º Coma toda a polpa que é uma delícia sem morder a semente que é muito amarga e está cheia de alcalóides. Pode provar mas NÃO COMA COMO SE FOSSE CHOCOLATE.

3º Coloque para secar em uma peneira de palha em um lugar ensolarado pelas manhã mas com sobra pela tarde, deixe secar completamente por 30 dias (não deixe cair água, se chover lembre de tirar e deixar em um lugar protegido)

Quando cheguei em BH estava chovendo e era um apartamento, sendo assim usei o forno, no mínimo possível e com a porta aberta, desliguei quando ficou muito quente e voltei a ligar depois de algumas horas, repeti o processo umas 3 vezes e ficaram perfeitamente secas.

É muito importante que assim que vc tire a polpa, seque as sementes, caso contrário irão estragar.

4º Ao secar coloque em um copo de água por 8h, depois deixe escorrendo por 4h.

5º Tire a pele das sementes e use para fazer chá

6º Liquidifique com 2 copos de água e 2-4 bananas.

7º Coe se achar que a textura não lhe agrada.

8º Coloque uma colher de mel de chá para ficar mais doce. (não necessário)

A semente de cacau é o alimento com a maior quantidade de antioxidante do mundo.

Opção 2

Compre a semente já seca, (pode ser que não está crua), mas arrisque, vê se germina.
Se germinar repete o 5º passo.

3) Restaurantes vegetarianos de Salvador
Healthy Valley Brasil

Proprietário: Johnny
End: Rua Direita da Piedade nº 17
Centro
71-3329-2211

Referêcia: Praça Piedade.

Restaurante exelente com sementes germinadas e folhas frescas de rúcula radiantes

Salada que fiz:

1 Punhado de rúcula
1 punhado de alface crespa
1 colher de servir de feijão verde germinado (germinado no tempo perfeito)
6 uvas
3 gomos de mexirica
1 colher grande de vinagrete de repolho rojo, cebola vermelha, pimentão verde.

Nada de sal, nada de azeite.

Obs 1: No menu ecológico não usamos o pimentão verde por não estar maduro ou seja ele é indigesto.

Obs 2: Não usamos o azeite ou tentamos evitar ao máximo, nosso fígado não está apto a digerir azeite .

4) Lojas de produtos naturais
A mesma do restaurante

Produtos:

Linhaça marron e dourada

Feijão verde para germinar

Semente de girassol crua para germinar ( O proprietário comentou que as sementes eram cruas pelo fato de que a torrada quase não vendia (viva a comida viva)).

Trigo está pedido, deverá chegar dentro de pouco.

Tâmara

Castanha do pará

Castanha de cajú (torrefação caseira)

Semente de abóbora (com casca e com sal uma pena) Ótima fonte de proteínas.

Shoyo sem açúcar e sem glúten, super difícil de encontrar.


5) Produtores locais e orgânicos quanto existir

Não realizamos nenhum contato.

6) Imitação de pratos regionais na versão viva.

Mingau de milho
Impossível usar o milho. Os cereais não são digestíveis pelo humano mesmo na forma germinada. Acho que vai ficar legal com milho verde. Já fiz uma sopa com milho verde, manteiga de amêndoa que ficou ótima acho que se aproximou mioto da textura..

Mingau de tabioca
Descobri que a tapioca se pode se encontrar viva e nem precisa cozinhar, acho que este será o mais fácil de conseguir a textura e sabor parecidos.

Uma exelente fonte de energia e perfeita para quem não quer perder peso nesta dieta ou para desportistas.

​Read More
Novidades Ecológicas

Salada super simples

Ingredientes:

3 Tomates
1 Pimentão
1/2 abacate
1/2 limão, suco
1 Pêssego
1 colher de sopa de ervas italianas ou mediterrâneas que são uma mistura de, tomilho, alecrim, orégano, sálvia e coentro.

Procedimento:

Cortar o pimentão em cubinhos
O abacate em cubos
O tomate em tiras
O pêssego em fatias

Misturar com as ervas e se deliciar.

​Read More
Publicidade

O melhor livro de criança do ano….

 Deusa e Semente Viva

Menina e Boneca de sementes germinadas

Autora: Luciene Prado
Deusa é menina de olhos cristalinos, criadora de sua vida e
semeadora de si mesma. Ela é encantada por sementes! Amanhece, atendendo ao
chamado das sementes a germinar, alimento vivo que desperta sua comunhão
planetária. Ao comer um fruto com sementes, seus olhos crescem, irradiam,
um sol nasce em seu coração.Ela necessita coletar todas as sementes. Deusa
oferta sementes a quem encontra, desejando a sabedoria da vida da
semente, este é seu bem querer.
Sua mãe é artesã de bonecas aromáticas e Deusa trama bonecas
de mato com olhos de sementes. A menina sempre percebeu as sementes como
olhos. Sementes e olhos armazenam os registros da vida.
Um vento de fim de tarde… uma boneca tramada… feijões
brotados… uma fabulosa ideia. Dar vida, germinar os olhos girassóis de
Semente Viva. Boneca e menina são como uma só. Sementes lançadas ao tempo,
pensamento… que cresce o broto d”alma menina…
Ao raiar de seus olhos, Semente Viva contempla e registra
sua menina, os anseios de sua alma. Deusa e Semente Viva brilham como sol
e criam a vida da manhã.
É a água, fonte da vida que os oferece a inusitada aventura
de vivenciar a sensível vida vegetal. Quando as mãos úmidas das crianças
tocam o vegetal, este lhes revela um registro de sua história. Como a vida
girassol nos olhos de semente Viva, o antes e o depois de ser semente, o
eterno amor ao sol… Uma abelha a visitar a roseira branca, carícias de
gratidão… Despencar junto ao coco da Bahia… Viajar na eterna alegria de
ser gergelim…
O tempo foi generoso, mas Semente Viva pede para ser
plantada, enraizar-se e ser girassol . Deusa e seu irmão Gabriel plantam
uma ciranda de bonecos com olhos germinados.
Deusa agradece a ventura de sua lenda, recitando o poema
HUM-MANO.

Luciene Prado (autora)

[link_popup id=’2388′ link_text=’Click to open popup’ name=’Brinde’]

​Read More
Novidades Ecológicas

Boletim Ecológico 000 – Apresentação

Boletim 000

Introduzindo os conceitos da Alimentação Viva

 

Olá Amigo(a) e futuro Cruzinheiro Ecológico,

Realmente com muito carinho que apresentamos nosso Boletim Ecológico.

Iremos abordar em nossos boletins termos relacionados com saúde, nutrição, culinária, educação ambiental, turismo ecológico, agricultura orgânica urbana e rural, e ecologia como um todo.

Estamos planejando enviar de 1 a 2 e-mails por semana. O cancelamento é automático, bastando clicar no penúltimo link, no final de todos os e-mails que enviamos.

Fazendo parte de nossa lista de e-mails você também irá receber brindes, descontos e poderá participar de ofertas especiais de lançamentos de livros e DVDs.

Iremos apresentar textos, vídeos, páginas web interessantes e relacionadas com nossos temas.

O que é Comida Ecológica?

Para ser uma forma de alimentar ecológica pensamos que estes são os critérios ecológicos(2) para que uma receita seja considerada amiga do meio ambiente interno(3)  e externo(4):

Cru – Vegano – Fresco – Maduro – Integral – Orgânicos – Vivo

Nossa visão terá sempre um foco ecológico(5), sendo assim ,nossas receitas e dicas poderão não seguir os princípios ortodoxos da medicina, nutrição e culinária tradicional. osso foco é a saúde do planeta.

Depois de 6 anos neste campo da alimentação natural, percebemos que a relação é direta, ou seja, se é bom para você é bom para o planeta e vice-versa.

Também iremos abordar temas gerais à partir de uma visão pessoal, será um ponto de vista baseado na nossa experiência. Iremos comentar alguns dos resultados que obtivemos em nossos 2 anos trabalhando em Spas na Europa. Alguns deles foram considerados um dos melhores em nível internacional. Esta experiência nos possibilitou entender e perceber que a nutrição holista (6) tem muitas vertentes e acreditamos que ela deva ser considerada se queremos um estado de saúde amplo e coerente.

O mais importante é que qualquer comentário feito ou abordado em nossas discussões jamais devem ser levados na prática (7), servindo apenas como referência de estudos e reflexões. Para uma abordagem prática em termos de cura e nutrição individual, por favor consulte um profissional capacitado que estudou para poder lhe oferecer soluções embasadas em estudos científicos.

Por isso pedimos a todos que não enviem dúvidas e perguntas relacionadas com a área médica ,pois nossa formação é Engenharia Ambiental e culinária, ou seja ,não entendemos o suficiente de doenças. As perguntas no campo nutricional poderão até serem respondidas, porém somente em nívell teórico. Uma vez que para colocá-las em prática, a sua condição atual deve ser avaliada em consultoria abordando peso, altura, massa muscular, nível de atividade física, mental e muitos outros fatores que irão influenciar se uma determinada quantidade de nutriente  estarão dentro da quantidade que seu corpo necessita.

Agora quando estamos falando de culinária, aí você pode colocar em prática ,pois sempre que possível iremos apresentar soluções simples e criativas para que você prepare pratos deliciosos, bonitos, saudáveis e acima de tudo ecológicos.

Nosso principal objetivo é apresentar uma culinária que melhore seu nível de saúde e energia, que ajude a prevenir doenças, que melhore seu sistema imunológico, que optimize seu sistema digestivo promovendo uma melhor absorção dos nutrientes, tudo isto por uma simples razão:

Comer de forma ecológia é o que nossos antepassados fizeram e puderam construir um mundo muito mais natural do que este que estamos construindo nos últimos 500 anos.

Agora imagina juntar uma dieta ecológica com os conceitos  de evolução atual, o planeta só tem a ganhar e nossa saúde também.

Muito Obrigado por se inscrever em nosso site,

Daniel Francisco de Assis e colaboradores do Projeto Comida Ecológica

__________________________________________

(1) Cruzinheiro são aqueles cozinheiros que não cozinham os alimentos uma vez que este processo simples de aquecimento, mata as enzimas, reduz os nutrientes disponíveis, acaba com os anti-oxidantes tornando um alimento cheio de energia vital em uma porção de carbohidratos, proteínas e gordura sem vida.

(2) Critérios Ecológicos:

Cru:

Comprovadamente alimentos crus tem mais nutrientes, energia vital, anti-oxidandantes e vitaminas

Vegano:

Com o sistema de produção de derivados de produtos animais tem sido cada vez mais agressivo, comer de uma forma ecológica necessariamente deve ser uma alimentação sem produtos de origem animal.

Fresco:

Priorizar alimentos de produção local é um requisito muito importante para sua saúde, uma vez que eles contém maior quantidade de nutrientes, água, vitaminas e sais minerais. O gasto energético presente na importação de alimentos não é um ato ecológico.

Maduro:

Alimentos de produção local são sempre mais maduros que os importados. Alimentos maduros são mais digestivos, possibilitando uma maior aproveitamento de nutrientes tornando assim um requisito básico de uma alimentação ecológica

Orgânico:

Apesar de parecer difícil encontrar alimentos orgânicos, devemos avaliar a possibilidade de um plantio caseiro afim de obter alimentos sem agrotóxicos. Mesmo que mais caros, eles são mais gostosos e nutritivos. Mesmo que nem sempre seja possível de alimentar 100% de alimentos orgânicos devemos ter este critério como meta.

Vivo:

As enzimas presentes nos alimentos perdem sua atividade em temperaturas maiores que 37º. Sendo assim, priorizar alimentos vivos é um requisito importante para uma boa saúde. Porém estar cru não é o suficiente, buscar uma alimentação viva está muito mais além de um limite de temperatura, está envolvido, alimentos ricos em vida, como as sementes germinadas, gramas e brotos.

Basicamente não basta ser cru para estar vivo. Existem muitos alimentos que são vendidos como crus porém não estão vivos ou tem um nível de energia vital baixo.

Os alimentos vivos são mais interessantes para o consumo humano por estarem em seu formato integral. Existem muitas técnicas de preparo de alimentos como a desidratação que não mata as enzimas mas torna o alimento mais difícil de ser digerido por estar seco ou concentrado.

Integral

Alimentos processados perdem seus nutrientes. Sendo assim, comer alimentos que não tenham perdido sua água interna é um requisito básico para uma boa saúde. A água presente somente nos alimentos integrais, é de grande importância em nosso sistema digestivo e imunológico, uma vez que ela possibilita uma correta hidratação, eliminação de toxinas e um ganho energético muito interessante em épocas aquecimento global.

(3) O que é o meio ambiente interno?

Nosso corpo com suas 3.000.000.000.000 de vidas vivendo em comum acordo e supostamente em perfeito equilíbrio quando permitimos.

(4) O que é meio ambiente externo?

O planeta e todos os ecossistemas que são alterados quando decidimos nos alimentar de um determinado tipo de alimento do que outro. Nossa fonte de proteínas pode ser de origem animal ou vegetal o que irá mudar será o impacto que esta escolha terá em termos de energia, consumo de água, poluentes e toxinas em nosso corpo.

(5) Porque nosso foco é ecológico?

Pode até ser que nossos cardápios não forneçam o que a organização mundial de saúde pede em termos de proteínas, B12, cálcio, zinco e outros nutrientes. Mas os princípios do Projeto Comida Ecológica são uma optimização na absoção através de uma dieta baixa em toxinas. Pensamos que se melhoramos a capacidade de absorção de nutrientes, não temos que consumir níveis tão altos de proteínas e outros nutrientes. Nosso foco é a busca da melhor fonte de nutrientes e não na que tem a maior quantidade de um determinado nutriente. O conceito de melhor fonte de nutriente será:

– A que é melhor absorvida por nosso corpo

– Menor impacto ambiental

– Menor sofrimento causado no processo produtivo, por parte das pessoas envolvidas, uma vez que os sistema de agricultura com agrotóxicos causam muitas doenças entres os produtores

– Que nenhum animal perca sua vida para nos alimentar.

– Menor quantidade de recursos do planeta requerido, como água, solo e nutrientes.

– Menor quantidade de energia necessária para produzir.

– Maior respeito ao entorno e as vidas presentes no ecossitema onde estes alimentos são produzidos

– Menor gasto energético possível no transporte, estocagem, armazenamento e preparo por parte de todos os processos envolvidos desde o produtor, intermediário e finalmente o consumidor.

(6) Holístico: total, integral, sistémico, armónico

Holismo (grego holos, todo) é a idéia de que as propriedades de um sistema, quer se trate de seres humanos ou outros organismos, não podem ser explicadas apenas pela soma de seus componentes.

A palavra foi cunhada por Jan Smuts, primeiro-ministro da África do Sul, no seu livro de 1926, Holism and Evolution, que assim a definiu: “A tendência da Natureza a formar, através de evolução criativa, “tudos” que são maiores do que a soma de suas partes”.

É também chamado não-reducionismo, por ser o oposto do reducionismo. Pode ser visto também como o oposto de atomismo ou mesmo como do materialismo. Vê o mundo como um todo integrado, como um organismo.

(7) As consequências de levar nossos comentários a um plano prático será de sua inteira responsabilidade.

​Read More
Novidades Ecológicas

O que é comida viva?

Alimentação Ecológica
Projeto Comida ecológica tem como principal inspiração promover uma alimentação que tenha estes princípios:

Cru – Vegano – Maduro – Orgânico – Fresco – Integral

Levando em conta claro o mundo real que nem sempre é possível seguir estes princípios ao pé da risca, mas deixamos claro que depois de viver 6 anos o movimento comida natural, trabalhar em 3 spas temos certeza que se você puder seguir esta forma de se alimentar perceberá grandes benefícios em sua saúde.

Cru

O conceito cru se apresenta como um modelo de alimentação que não processa, termicamente, seus ingredientes à temperatura superior a que comprometa a atividade enzimática. Em alguns livros recomenda-se 40º outros 50º, eu fico com 37ºC (graus centígrados) que é a temperatura corporal. Lembrando que, se o nosso corpo tiver sua temperatura elevada acima de 46ºC, leva-nos à morte, o mesmo acontece com as enzimas digestivas. Os alimentos, quando cozidos, perdem suas enzimas digestivas, que diminuem sua atividade dificultando a digestão dos alimentos. O efeito mais claro disso é a sensação de peso quando comemos, sentimo-nos cansados e sentimos que precisamos de uma sobremesa para nos dar força para seguir trabalhando, mas esta força que o açúcar oferece também não resolve o problema e nos faz sentir ainda mais cansados quando o efeito passa. Este ciclo que parece interminável tende a piorar quando passamos para drogas ou misturas de drogas, como cafeína, açúcar e chocolate.  O rompimento deste ciclo começa com a mudança de hábitos – diminuir o uso de sal, pois assim nos faz comer menos, aumentar a porção de comida fresca, comer uma peça de fruta antes das refeições e uma maçã como sobremesa. Escovar os dentes logo após as refeições é importante e não se esqueça de usar aqueles raspadores de língua. Você ficará surpreso com a quantidade de muco que ainda fica mesmo depois de escovar. Termine com o uso de fio dental e evite usar higienizadores bucais, pois, são muito agressivos para seu corpo.

Ser cru é o fator mais importante para você sentir os benefícios de uma dieta energizante e desintoxicante e que, realmente, vai lhe proporcionar um aumento de seus níveis de energia e de saúde, como um todo. O que buscamos aqui é fazer do “ato de comer”, um contato constante com uma verdadeira farmácia de medicamentos naturais e saudáveis, assim como recomenda o Pai da Medicina – Hipócrates.

Vegano

Se não existe na história da humanidade nenhuma cultura que tenha sido completamente vegana, por que não deveríamos comer produtos de origem animal?

A razão não está no produto e, sim, no processo, ou seja, comer um ovo, não acarreta grandes problemas à saúde humana, na verdade muito poucos.
O grande problema dos produtos de origem animal não está nestes e, sim, nos processos de produção.
As granjas e criadouros hoje operam em nível industrial num processo produtivo onde o lucro deve ser maximizado, desperdícios minimizados e a produção otimizada. Daí o uso excessivo e indiscriminado de alimentos não-naturais ou, geneticamente modificados, medicamentos, vacinas, antibióticos para controlar doenças, sempre visando acelerar o processo de engorda, com o intuito de aumentar ou, evitar perdas, na produção.


Maduro

Não é muito importante, mas ajuda saber a melhor hora de se comer certos  alimentos, buscando facilitar a digestão. Muitas das vezes, por questões econômicas, os produtos são lançados no mercado, ainda verdes. Saber reconhecer quando está maduro, ou não, deveria ser uma técnica natural, normal e de conhecimento de todos nós. Mas, por questões culturais, algumas crianças chegam à juventude sem ter provado algum alimento cru ou, sequer, sabem descascar uma laranja. Sendo assim, vamos apresentar algumas dicas para que seus pratos ecológicos sejam saborosos e  que você possa, cada vez mais, alimentar-se de forma natural.

Orgânico

Relativamente difícil, mas temos notícias boas – o movimento orgânico vem crescendo e ocupando, cada vez mais, o lugar de destaque nas prateleiras dos supermercados. É uma tendência mundial, mas no Brasil ainda está muito lento. O movimento de produção orgânica segue na contra mão das grandes potências produtoras de sementes e adubos.

Fresco e Integral

O problema é que, em alguns casos, ser cru não é, necessariamente, fresco ou integral, sendo assim, o Projeto Comida Ecológica incentiva o consumo de alimentos que estejam o mais próximo possível do seu estado natural, pois é a condição ideal  para ser ingerido, facilitando o processo  digestivo e aumentando a absorção de nutrientes.

Suplementos alimentares podem até ser crus, mas não, necessariamente, frescos ou integrais; algas marinhas podem ser cruas, porém não são frescas, sendo assim, questione seu consumo, não somente pelo preço elevado, mas porque seu corpo terá que trabalhar mais para poder digerir.

Ser um alimento integral significa que não foi seco, torrado, desidratado, enfim, processado, isto é, encontra-se em seu estado original – in natura.

O Projeto Comida Ecológica não entra na questão nutricional, pois pode ser que o ovo tenha uma grande quantidade de nutrientes importantíssimos para a saúde humana, ou que a carne de frango tenha proteínas em quantidades necessárias ao organismo humano. O foco que damos em nosso projeto é a linha ambiental, ou seja, a quantidade de energia gasta para produzir um quilo de proteína animal é muito maior que a despendida para se produzir um quilo de proteína vegetal, nas mesma condições técnicas e nutritivas.

A nossa filosofia não é contra o consumo de carnes, ovos, ou derivados de leite, pois sabemos que existem muitas formas de se alimentar usando estes produtos, porém, de forma ecológica.

Cuide de você e, automaticamente, estará cuidando do planeta!

Vantagens de uma alimentação ecológica
O alimento que comemos, a forma como o preparamos, bem como o processo pelo qual ele passa quando de sua produção, influem e impactam o nosso meio ambiente interno e externo.

O Interno é nosso corpo, com seus 100.000.000.000.000 (cem trilhões) de células vivas, que vivem  em perfeito equilíbrio, quando permitimos. São os nossos órgãos e sistemas como o digestivo, o de defesa, o de absorção de nutrientes, etc.

O Externo é o nosso bairro, nossa cidade, o nosso planeta.

Vários resultados podem ser obtidos com a alimentação ecológica. Dentre os mais comuns, temos:

·Melhora os odores do corpo;
·Proporciona melhor qualidade do sono;
·Ajuda a perder peso;
·Melhora o sistema imunológico;
·Beneficia a pele e os cabelos;
·Proporciona aumento de energia e vitalidade; e
·Intensifica a disposição física e mental;

Tabaco, álcool, poluição e agrotóxicos são grandes agressores, impedindo-nos de utilizar a nossa energia para a auto-cura, que é um processo intrínseco em nosso corpo.

O corpo adquire energia a partir da ingestão de alimentos. Todavia, esta é consumida no processo de digestão desses mesmos alimentos. O dispêndio de energia será tanto maior, quanto mais desconhecidos para o corpo forem os produtos a serem digeridos, como por exemplo, a lactose do leite de origem animal, gorduras queimadas em alimentos que passaram por processo de fritura, alimentos misturados com bebidas alcoólicas ou muito processados, conservantes químicos, resíduos de pesticidas ou agrotóxicos nos alimentos, etc. Enfim, toda a gama de elementos químicos que alteram a estrutura natural dos alimentos.

Pelo fato de consumir tanta energia neste processo para eliminar as toxinas, a auto-cura normal e biológica se tornar inviável e, assim, envelhecemos mais rapidamente.

Essa alimentação não é milagrosa, mas o nosso corpo sim. Ele é capaz de corrigir, reorganizar e curar todos os desequilíbrios que provocamos. Porém, o excesso de desequilíbrio leva o corpo a priorizar onde vai gastar a energia. Na reparação do que está se oxidando ou, na proteção dos novos “ataques”.

Outro fator positivo seria o estoque natural de antioxidantes. A dieta ocidental tem um percentual baixíssimo de antioxidantes, visto que, é pobre em frutas e legumes, sua fonte primordial.  Nas dietas carnívoras ou baseadas em leites, queijos, pães, doces e bebidas alcoólicas estão praticamente ausentes as substâncias que protegem o nosso corpo das reações naturais da oxidação, processo impossível de se evitar, já que estamos inseridos em uma atmosfera composta de oxigênio e nitrogênio.

Uma vez que enchemos nossos corpos com antioxidantes naturais, como a vitamina C, presente em folhas verdes e frutas, por exemplo, fazemos com que o oxigênio presente na atmosfera não reaja com nosso corpo e, sim, com estes antioxidantes. Lembrando que os vegetais são os alimentos que têm a maior proporção de nutrientes por caloria, do que qualquer outro alimento de origem animal. Sendo assim, estamos também fornecendo ao nosso corpo doses elevadas de nutrientes, incentivando-o, ainda mais, que se ocupe em se auto-recuperar. É fato que, pessoas que se alimentam bem têm um aspecto mais jovem que pessoas da mesma idade que bebem, fumam e não se alimentam devidamente.

Quando permitimos ao nosso corpo se auto-equilibrar passamos a dormir menos e melhor. Passamos a respirar melhor, pois nossas vias respiratórias estão mais limpas. Melhorando a nossa respiração, ganhamos mais energia. Geramos fios de cabelo novos e perfeitos. A nossa capacidade de concentração aumenta. É todo um conjunto de melhoras que notamos e vivenciamos, a cada dia que trocamos um prato de torradas, manteiga e café, por um suco de maçã, cenoura, couve, sementes de girassol, acelga; quando substituímos um cigarro por um copo de água de coco; uma torta de chocolate, chantili, nata, creme, açúcar, farinha e glúten por um prato de frutas, como jantar.

Podemos perceber isto quando cortamos nossa pele. Dentro de poucos dias, está completamente curada e, dependendo da profundidade, não se nota nada.

Quando deixamos nosso corpo em “paz” ficamos mais fortes e protegidos e, este corpo é capaz de se prevenir contra muitas doenças ou quase todas.

O que não podemos esquecer é que somos seres pensantes, passíveis de sentimentos, pensamentos, emoções e sujeitos a influências externas. Uma saúde perfeita está baseada na saúde social, espiritual, nutricional e física. Cuidar apenas de uma delas não gera resultados completos e duradouros.

Alimentação ecológica, por quê?

A maioria dos resíduos gerados, por esta dieta, é biodegradável. Sua produção requer menos energia. A quantidade de recursos naturais envolvidos é menor. O consumo de água chega a ser 30 vezes maior para produzir um quilo de carne do que um quilo de vegetais.

Por mais que não sigamos esta linha de nutrição, tal fato tem que ser levado em conta, pois a dieta ecológica é a dieta que oferece melhor relação nutrientes / caloria que qualquer outra. Considerando este fator, entendemos que gastamos menos, produzimos mais, alimentamo-nos melhor, nutrimo-nos mais. Podemos substituir um copo de leite de origem animal por um copo de leite de amêndoa, por exemplo, ou de soja, que têm as mesmas quantidades de proteína que o de origem animal.

​Read More