• Home
  • Comida Ecológica?

Comida Ecológica?

0 comments

Alimentação Viva Ecológica

O  Projeto Comida ecológica tem como principal inspiração promover uma alimentação que tenha estes princípios:

Cru – Vegano – Maduro – Orgânico – Fresco – Integral

Levando em conta claro o mundo real que nem sempre é possível seguir estes princípios ao pé da risca, mas deixamos claro que depois de viver 6 anos o movimento comida natural, trabalhar em 3 spas temos certeza que se você puder seguir esta forma de se alimentar perceberá grandes benefícios em sua saúde.

Cru

O conceito cru se apresenta como um modelo de alimentação que não processa, termicamente, seus ingredientes à temperatura superior a que comprometa a atividade enzimática. Em alguns livros recomenda-se 40º outros 50º, eu fico com 37ºC (graus centígrados) que é a temperatura corporal. Lembrando que, se o nosso corpo tiver sua temperatura elevada acima de 46ºC, leva-nos à morte, o mesmo acontece com as enzimas digestivas. Os alimentos, quando cozidos, perdem suas enzimas digestivas, que diminuem sua atividade dificultando a digestão dos alimentos. O efeito mais claro disso é a sensação de peso quando comemos, sentimo-nos cansados e sentimos que precisamos de uma sobremesa para nos dar força para seguir trabalhando, mas esta força que o açúcar oferece também não resolve o problema e nos faz sentir ainda mais cansados quando o efeito passa. Este ciclo que parece interminável tende a piorar quando passamos para drogas ou misturas de drogas, como cafeína, açúcar e chocolate.  O rompimento deste ciclo começa com a mudança de hábitos – diminuir o uso de sal, pois assim nos faz comer menos, aumentar a porção de comida fresca, comer uma peça de fruta antes das refeições e uma maçã como sobremesa. Escovar os dentes logo após as refeições é importante e não se esqueça de usar aqueles raspadores de língua. Você ficará surpreso com a quantidade de muco que ainda fica mesmo depois de escovar. Termine com o uso de fio dental e evite usar higienizadores bucais, pois, são muito agressivos para seu corpo.

Ser cru é o fator mais importante para você sentir os benefícios de uma dieta energizante e desintoxicante e que, realmente, vai lhe proporcionar um aumento de seus níveis de energia e de saúde, como um todo. O que buscamos aqui é fazer do “ato de comer”, um contato constante com uma verdadeira farmácia de medicamentos naturais e saudáveis, assim como recomenda o Pai da Medicina – Hipócrates.

Vegano

Se não existe na história da humanidade nenhuma cultura que tenha sido completamente vegana, por que não deveríamos comer produtos de origem animal?

A razão não está no produto e, sim, no processo, ou seja, comer um ovo, não acarreta grandes problemas à saúde humana, na verdade muito poucos.

O grande problema dos produtos de origem animal não está nestes e, sim, nos processos de produção.
As granjas e criadouros hoje operam em nível industrial num processo produtivo onde o lucro deve ser maximizado, desperdícios minimizados e a produção otimizada.

Daí o uso excessivo e indiscriminado de alimentos não-naturais ou, geneticamente modificados, medicamentos, vacinas, antibióticos para controlar doenças, sempre visando acelerar o processo de engorda, com o intuito de aumentar ou, evitar perdas, na produção.

Maduro

Não é muito importante, mas ajuda saber a melhor hora de se comer certos  alimentos, buscando facilitar a digestão. Muitas das vezes, por questões econômicas, os produtos são lançados no mercado, ainda verdes. Saber reconhecer quando está maduro, ou não, deveria ser uma técnica natural, normal e de conhecimento de todos nós. Mas, por questões culturais, algumas crianças chegam à juventude sem ter provado algum alimento cru ou, sequer, sabem descascar uma laranja.

Sendo assim, vamos apresentar algumas dicas para que seus pratos ecológicos sejam saborosos e  que você possa, cada vez mais, alimentar-se de forma natural.

Orgânico

Relativamente difícil, mas temos notícias boas – o movimento orgânico vem crescendo e ocupando, cada vez mais, o lugar de destaque nas prateleiras dos supermercados. É uma tendência mundial, mas no Brasil ainda está muito lento. O movimento de produção orgânica segue na contra mão das grandes potências produtoras de sementes e adubos.

Fresco e Integral

O problema é que, em alguns casos, ser cru não é, necessariamente, fresco ou integral, sendo assim, o Projeto Comida Ecológica incentiva o consumo de alimentos que estejam o mais próximo possível do seu estado natural, pois é a condição ideal  para ser ingerido, facilitando o processo  digestivo e aumentando a absorção de nutrientes.

Suplementos alimentares podem até ser crus, mas não, necessariamente, frescos ou integrais; algas marinhas podem ser cruas, porém não são frescas, sendo assim, questione seu consumo, não somente pelo preço elevado, mas porque seu corpo terá que trabalhar mais para poder digerir.

Ser um alimento integral significa que não foi seco, torrado, desidratado, enfim, processado, isto é, encontra-se em seu estado original – in natura.

O Projeto Comida Ecológica não entra na questão nutricional, pois pode ser que o ovo tenha uma grande quantidade de nutrientes importantíssimos para a saúde humana, ou que a carne de frango tenha proteínas em quantidades necessárias ao organismo humano. O foco que damos em nosso projeto é a linha ambiental, ou seja, a quantidade de energia gasta para produzir um quilo de proteína animal é muito maior que a despendida para se produzir um quilo de proteína vegetal, nas mesma condições técnicas e nutritivas.

A nossa filosofia não é contra o consumo de carnes, ovos, ou derivados de leite, pois sabemos que existem muitas formas de se alimentar usando estes produtos, porém, de forma ecológica.

Cuide de você e, automaticamente, estará cuidando do planeta!

Vantagens de uma alimentação ecológica
O alimento que comemos, a forma como o preparamos, bem como o processo pelo qual ele passa quando de sua produção, influem e impactam o nosso meio ambiente interno e externo.

O Interno é nosso corpo, com seus 100.000.000.000.000 (cem trilhões) de células vivas, que vivem  em perfeito equilíbrio, quando permitimos. São os nossos órgãos e sistemas como o digestivo, o de defesa, o de absorção de nutrientes, etc.

O Externo é o nosso bairro, nossa cidade, o nosso planeta.

Vários resultados podem ser obtidos com a alimentação ecológica. Dentre os mais comuns, temos:

·Melhora os odores do corpo;
·Proporciona melhor qualidade do sono;
·Ajuda a perder peso;
·Melhora o sistema imunológico;
·Beneficia a pele e os cabelos;
·Proporciona aumento de energia e vitalidade; e
·Intensifica a disposição física e mental;

Tabaco, álcool, poluição e agrotóxicos são grandes agressores, impedindo-nos de utilizar a nossa energia para a auto-cura, que é um processo intrínseco em nosso corpo.

O corpo adquire energia a partir da ingestão de alimentos. Todavia, esta é consumida no processo de digestão desses mesmos alimentos. O dispêndio de energia será tanto maior, quanto mais desconhecidos para o corpo forem os produtos a serem digeridos, como por exemplo, a lactose do leite de origem animal, gorduras queimadas em alimentos que passaram por processo de fritura, alimentos misturados com bebidas alcoólicas ou muito processados, conservantes químicos, resíduos de pesticidas ou agrotóxicos nos alimentos, etc. Enfim, toda a gama de elementos químicos que alteram a estrutura natural dos alimentos.

Pelo fato de consumir tanta energia neste processo para eliminar as toxinas, a auto-cura normal e biológica se tornar inviável e, assim, envelhecemos mais rapidamente.

Essa alimentação não é milagrosa, mas o nosso corpo sim. Ele é capaz de corrigir, reorganizar e curar todos os desequilíbrios que provocamos. Porém, o excesso de desequilíbrio leva o corpo a priorizar onde vai gastar a energia. Na reparação do que está se oxidando ou, na proteção dos novos “ataques”.

Outro fator positivo seria o estoque natural de antioxidantes. A dieta ocidental tem um percentual baixíssimo de antioxidantes, visto que, é pobre em frutas e legumes, sua fonte primordial.  Nas dietas carnívoras ou baseadas em leites, queijos, pães, doces e bebidas alcoólicas estão praticamente ausentes as substâncias que protegem o nosso corpo das reações naturais da oxidação, processo impossível de se evitar, já que estamos inseridos em uma atmosfera composta de oxigênio e nitrogênio.

Uma vez que enchemos nossos corpos com antioxidantes naturais, como a vitamina C, presente em folhas verdes e frutas, por exemplo, fazemos com que o oxigênio presente na atmosfera não reaja com nosso corpo e, sim, com estes antioxidantes. Lembrando que os vegetais são os alimentos que têm a maior proporção de nutrientes por caloria, do que qualquer outro alimento de origem animal. Sendo assim, estamos também fornecendo ao nosso corpo doses elevadas de nutrientes, incentivando-o, ainda mais, que se ocupe em se auto-recuperar. É fato que, pessoas que se alimentam bem têm um aspecto mais jovem que pessoas da mesma idade que bebem, fumam e não se alimentam devidamente.

Quando permitimos ao nosso corpo se auto-equilibrar passamos a dormir menos e melhor. Passamos a respirar melhor, pois nossas vias respiratórias estão mais limpas. Melhorando a nossa respiração, ganhamos mais energia. Geramos fios de cabelo novos e perfeitos. A nossa capacidade de concentração aumenta. É todo um conjunto de melhoras que notamos e vivenciamos, a cada dia que trocamos um prato de torradas, manteiga e café, por um suco de maçã, cenoura, couve, sementes de girassol, acelga; quando substituímos um cigarro por um copo de água de coco; uma torta de chocolate, chantili, nata, creme, açúcar, farinha e glúten por um prato de frutas, como jantar.

Podemos perceber isto quando cortamos nossa pele. Dentro de poucos dias, está completamente curada e, dependendo da profundidade, não se nota nada.

Quando deixamos nosso corpo em “paz” ficamos mais fortes e protegidos e, este corpo é capaz de se prevenir contra muitas doenças ou quase todas.

O que não podemos esquecer é que somos seres pensantes, passíveis de sentimentos, pensamentos, emoções e sujeitos a influências externas. Uma saúde perfeita está baseada na saúde social, espiritual, nutricional e física. Cuidar apenas de uma delas não gera resultados completos e duradouros.

Alimentação ecológica, por quê?

A maioria dos resíduos gerados, por esta dieta, é biodegradável. Sua produção requer menos energia. A quantidade de recursos naturais envolvidos é menor. O consumo de água chega a ser 30 vezes maior para produzir um quilo de carne do que um quilo de vegetais.

Por mais que não sigamos esta linha de nutrição, tal fato tem que ser levado em conta, pois a dieta ecológica é a dieta que oferece melhor relação nutrientes / caloria que qualquer outra. Considerando este fator, entendemos que gastamos menos, produzimos mais, alimentamo-nos melhor, nutrimo-nos mais. Podemos substituir um copo de leite de origem animal por um copo de leite de amêndoa, por exemplo, ou de soja, que têm as mesmas quantidades de proteína que o de origem animal.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>

O que mais pode ser feito além do isolamento social?

100% gratuito