5 atitudes para destruir sua carreira gastronômica

1º) Não querer pegar no pesado

2º) Não saber pegar no pesado

3º) Não ter criatividade

4º) Não saber quanto cobrar

5º) Não se colocar no lugar do seu cliente

Meu nome é Daniel Francisco de Assis, por alguns anos, acredito que cheguei ao topo da minha carreira, como referência nacional em Chef CrudiVegano.

Trabalho como cozinheiro há mais de 15 anos. Já formei mais de 400 alunos, ministrei palestras e aulas de culinária em quase todos os estados do Brasil e  fui convidado para cozinhar em mais de 6 países.Em se tratar de cozinha eu entendo e acho que este artigo pode lhe ajudar a ter uma carreira gastronômica mais promissora. Já ganhei bastante em um mês como cozinheiro e acredito que, o que vou te dizer neste post poderá lhe ajudar de alguma forma.

Não vou apenas mostrar o erro mas sim, como fazer de forma correta, afinal não quero que seja com cozinheiro fracassado, quero te ajudar a ser o melhor profissional que possa ser.

1º) Não querer pegar no pesado

Um estudo bem interessante mostrou quais profissões deixarão de existir em 30 anos e cozinheiro não é uma delas, pelo simples fato de ser um trabalho braçal  exaustivo do qual necessita de tantos sensores e conexões neurais que as máquinas não poderão nos substituir.Trabalho braçal  pode ser trocado por um robô mas o processo criativo é imanente ao homem.

Sendo assim, para vaga de cozinheiro pelas próximas 3 décadas  encontrar a placa:

Kitchen Position Available.

Então basta fazer um curso de cozinha e nunca vou estar desempregado. Não é bem assim; pelo simples fato  de que todo mundo quer ser chef sem nunca ter cozinhado.

Hoje estou gerenciando uma empresa familiar, não será por muito tempo, mas quero organizar esta empresa para poder negociá-la melhor no futuro, ou seja ,quanto mais no azul ela estiver, melhor. Mas ter sido empregado no passado me ajuda muito a como ser um "patrão" melhor. Os termos mudaram, não falamos mais em funcionários e sim colaboradores. É brega mandar, pedir cai melhor. Todo mundo gosta de ser bem tratado. Um dia aprendi que mandar e obedecer é a mesma coisa, o que muda é o EGO.

Saber ser um bom assistente é crucial para ser um bom CHEF de cozinha. Saber limpar o chão de uma cozinha é tão importante quanto cobrar que ela esteja limpa no final do dia. Picar, lavar, pelar batata, estar atento, observar, é crucial para o sucesso de uma cozinha. Não existe cliente feliz sem que todos os envolvidos no processo estejam focados. É de vital importância para ser um bom chef, ser antes um excelente assistente de chef. Já fui assistente em mais de 10 restaurantes: No primeiro eu somente lavava prato e facas, no segundo já comecei a cortar e misturar e somente depois atuava no preparo dos pratos.  Isso me ajudou muito. 

Já coordenei uma cozinha com mais de 35 funcionários: saber pedir, elogiar, brigar, gritar na hora certa é tão importante quanto entregar a comida na hora certa. Já servi mais de 1500 refeições em um dia e ter sido assistente foi super importante quando tive que pedir, mandar e saber a hora certa das coisas.

Se você quer trabalhar na cozinha, seja voluntário, aceite trabalhar de assistente, busque trabalhos onde você será quem irá tornar tudo possível.

2º) Não saber pegar no pesado

Como disse antes, para saber pegar no pesado, você precisa aprender no campo da gastronomia.Não existe aula teórica, tem que praticar, praticar e praticar. 

Para isso precisa primeiramente querer pegar no pesado ,segundo  precisa aprender a como realizar de forma correta pois  você vai encontrar pessoas extremamente idiotas e extremamente fodásticas. Para saber diferenciá-los, precisa praticar, praticar, praticar. 

Uma vez na Inglaterra eu lavava prato em um restaurante bem ruim; comida rápida(tipo Girafas), nada muito elaborado, porém um batidão incrível. Eu colocava os pratos na máquina de lavar depois de tirar o grosso. Nada mais. Normalmente eram 12 funcionários. Um dia chegou uma cara bem sério que mandou todos embora para casa e ficou somente eu e ele. O cara era foda, rápido, preciso, cirúrgico. Deu conta fácil do recado. Quando terminou eu virei para ele e falei:

I really like to work for you, if you need an assistance, please call me, I will be more than happy to help you.

 Eu realmente gostei de trabalhar para você, se você precisar de um ajudante, por favor, me chame, eu vou estar mais que feliz de te ajudar.

Ele era o chef de cozinha em 36 cozinhas espalhadas pela Inglaterra e naquela noite ele veio resolver um problema sério no restaurante que eu trabalhava. Equipe incompetente generalizada. Aos poucos novos funcionários foram chegando e depois de duas semanas, ele foi embora, como eu aprendi com este cara. 

Um exemplo negativo em um restaurante mais chique que trabalhei no interior da Inglaterra; eu tinha 2 Chefs, e eu era o único assistente. Os Chefs, claro que sempre me zoavam. Um dia eu zoei um deles e ele me deu um soco. Sai chorando da cozinha e o dono veio e me ofereceu 200 libras em pedido de desculpas. 

Ter passado por tudo que passei me tornou um profissional mais resiliente. Você precisa passar por diversos tipos de ambientes para entender o que é uma cozinha.

3º) Não ter criatividade

Este é um erro grave, mas nem tanto. Existem diversos modelos de negócio que não é necessário ter criatividade, porém os mais bem pagos são os mais criativos. Você poderá ter uma carreira de sucesso no mundo gastronômico, cozinhando a mesma coisas todos os dias, mas se quer ir mais longe, uma pitada de criatividade será fundamental.

4º) Não saber quanto cobrar

Vamos falar do menos importante e o mais importante; Cobrar. (dentro de 2 dias vou adicionar o texto)

5º) Não se colocar no lugar do seu cliente

Saber se colocar no lugar do outro é o segredo de toda matrimônio,amizade, vida a dois, sociedade e também, no mundo dos negócios.  (dentro de 4 dias vou adicionar o texto final)




Registro

gráfico

do 1º Encontro Gastronômico de Manaus e receitas

Daniel Francisco de Assis

Daniel Francisco de Assis

Engenheiro Ambiental pela PUC-Rio Chef de Cozinha Viva Vegana Detox Coordenador do Projeto Comida Ecológica Presidente do Instituto Ecológico Autor do Livro Suco Vivo Estudante da Alimentação Viva a mais de 15 anos, já trabalhou nos mais renomados centros de Detox e SPAs da Europa. Já administrou programas detox na Espanha, Inglaterra, Bahamas, Emirados Árabes, EUA e em quase todos os estados do Brasil.

>