Qual a melhor forma de esterilizar os vegetais?

Por
Atualizado em: 8 de maio de 2011
como-lavar-corretamente-os-vegetais

Qual a melhor maneira de esterilizar as frutas e verduras?

Antes de entrar neste assunto e apresentar minhas últimas pesquisas sobre o assunto eu gostaria de explicar o contexto deste procedimento para que você possa entender em qual situação vocês está, para assim evitar procedimentos desnecessários.

Para falar sobre o assunto esterilização de alimentos, tenho que falar de Pasteur.

Louis Pasteur foi motivo de orgulho para a França. Além de ser o criador do processo de pasteurização e de algumas vacinas, Pasteur contribuiu para o avanço de muitas pesquisas e solução de muitos problemas ao comprovar que a teoria da geração espontânea era falsa. Assim, quando o cientista completou 70 anos, houve uma grande solenidade na Universidade Sorbonne, em Paris

Tudo isso parece fantástico mas a grande descoberta a meu modo de ver os germes não foram os germes em sí, mas co-relacionar o meio e o germe. Quando criamos um meio propício para a produção dos micróbios eles se multiplicam, mas quando não existe o meio, não importa qual germe ele não vai se multiplicar. Baseado nesta teoria que a alimentação vive justifica que não devemos perder tanto tempo em limpar os alimentos e sim melhorar nossos sistema imunológico, ou seja o “meio”.

Quando promovemos a alcalinização global em nosso corpo criamos um meio perfeito para a saúde plena, criamos um meio para a multiplicação de bactérias boas e não criamos um meio propício para as bactérias potogênicas.

Quando cuidamos de nossa saúde através de alimentos que ajudam nosso sistema imunológico, não precisamos perder tanto tempo, com processo desnecessários. Mas talvez você se pergunte: – Porque não fazer os dois? Porque não cuidar do meu sistema imunológico com uma boa alimentação e também esterilizar os alimentos?

Sim, parece o ideal, mas na prática não temos tempo para ambos, pois cada vez mais temos menos tempo, nem segue para preparar nossas refeições, quanto mais, limpar, lavar, deixar de molho no vinagre, depois no cloro, depois enxaguar, depois secar, depois cortar, preparar depois comer.

Mas você ainda pode estar perguntando, sim,

mas eu tenho tempo para os dois então qual o melhor sistema usar?

Sendo assim para estas pessoas que tem tempo de pré-lavar, lavar e preparar, resolvemos criar uma lista dos melhores sistemas, seus prós e contras.

Na prática, nos últimos 10 anos eu posso dizer que dediquei muito pouco tempo em limpeza dos vegetais na minha casa, no preparo dos meus pratos e nunca figuei doente por infecções, aliás, não figuei doente por nenhum motivo relacionado com sistema imunológico. Tomei anti-biótico duas vezes por conta de ter abusado do meu ouvido em mergulhos no mar e uma micro cirurgia de dente que tomei um único comprimido de anti-flamatório e deu um efeito incrível, parecia que meu corpo estava ultra sensível ao medicamento. Os antibióticos também fizeram efeito logo no primeiro dia.

Mas o grande problema em limpar ultra-bem os alimentos está quando estamos preparando para outras pessoas, nesta hora que surge os principais problemas, pois em nossos SPAs por exemplo, recebemos dezenas de pessoas e algumas destas pessoas estão com o sistema imunológico super debilitado, então a limpeza se faz necessária. Sendo assim qual a melhor opção?

Os dados são alarmantes, estudos mostram que até 85% das folhas verdes por exemplo estão contaminadas com algum tipo de parasita ou coliforme fecais, porém temos um sistema perfeito para nos proteger, o primeiro seria a acidez do estômago, de tão alta, destrói a maioria dos germes.  Mas quando estamos muito fracos, eles podem passar sendo assim limpar da melhor maneira possível se faz útil.

Desde que comecei a fazer a faculdade tive contato com diversos profissionais da área de nutrição e todos eles tiveram aulas e mais aulas sobre a importância de se limpar os alimentos devido justamente a este problema, quando se trata de restaurantes o risco de contaminação é grande.

Na culinária viva temos duas vantagens:

-Dificilmente se cozinha para centenas, normalmente os restaurantes de alimentação viva servem poucas refeições e quanto o menor volume de ingrediente, menor é o contato de pessoas, menor o número de pessoas, menor é a contaminação.

- Alimentação viva não usa produdotos de origem animal que são os alimentos que realmente merecem um maior cuidado em relação aos contaminantes externos.

Sendo assim o contato com estes profissionais diariamente, me fez repensar a questão da higienização dos alimentos para fins comerciais.

Gostaria de comentar que 99% dos estudos científicos neste assunto aborda a partir de uma visão específica:

a) Pesquisa-se o uso de agentes químicos que lutam contra os germes, não existe muitos estudos sobre os efeitos negativos destes produtos em nosso corpo. O foco é saber quanto tempo deixar os alimentos de molho, qual produto é mais poderoso, qual produto mata mais os germes.

b) 80% dos estudos abordam técnicas voltadas para empresas, restaurantes, lanchonetes, onde o grau de contaminação é maior e o tempo é menor para limpar os alimentos. Quando estamos em casa, podemos nos dar o luxo de limpar um por um. Peça por peça, folha por folha.

Sendo assim, dito todos este pontos sobre o uso de agente químicos na limpeza de vegetais em nossas casas, gostaria de deixar claro que até o momento não encontrei nenhum artigo, completo suficiente. Desta forma foi tentar apresentar as melhores soluções para você que lida com alimentos no nível pessoal e não comercial. Quanto a questão de produtos de origem animal o mais importante seria lavá-los em pias separadas e usar tábuas de cortar separadas. Nunca usar tábuas de madeira para carnes, peixes ou ovos.

 

A)Hipoclorito de sódio:

Este seria o mais eficaz quando a eliminação de bactérias, parasitas e fungos. Muito eficaz mas gera substâncias cancerígenas quando em contato com elementos orgânicos dos vegetais que estão sendo desinfetados. Sendo assim é bom no prazo curto e ruim a longo prazo. Por isso que para restaurantes seria a melhor opção em termos de satisfação do cliente. Pois se você vai comer em um restaurante e sente dor de barriga e vômitos depois de comer uma salada, você nunca mais volta neste restaurante e se foi grave pode até querer processá-lo. Mas se você tem um câncer depois de 10 anos, não vai poder processá-los.

Então para casa o uso de cloro não é interessante a meu modo de ver.

b) Água sanitária:

Existe o risco de contaminação por outras substâncias químicas, sendo assim o melhor seria usar o Hipoclorito de sódio que teoricamente é puro.

c) Carvão vegetal:

Não existe comprovação, apesar de ser extremamente poroso. Se você quer usar, use em formato de pó e deixe por mais de 10minutos de molho, em uma água com carvão em pó.

d) Vinagre:

Ajuda a eliminar alguns parasitas mas não é muito eficaz contra fungos e bactérias.

e) Argila:

Não existe comprovação

f) Sabão e água:

Interessante para bactérias mas não para parasitas. Mas esta é a opção que mais gosto de usar na minha casa.

 

g) Água:

Ajuda a tirar elementos macro como poeira e fuligem, mas micro como bácterias e parasitas não se mostou eficaz. Mas esta seria a opção que mais uso, lavar em água corrente e usar.