Qual a diferença entre a nutrição viva e a tradicional

image_pdf

Qual a diferença entre a nutrição viva e a tradicional?

Cada vez mais a nutrição viva vem se profissionalizando, investindo em pesquisas e deixando de ser tão empírica, mas ainda existem muitas diferenças entre a nutrição que se aprende nas salas de aulas das universidades brasileiras, da nutrição que fala nos sites de comida crua, crudívora, viva, living food, raw, pelo mundo afora.

Neste artigo vamos fazer um resumo pra que você se situe e saiba as diferenças. Não queremos dizer que uma é melhor que a outra, apenas que são diferentes e o idela é visitar um nutricionista para que se você decidiu seguir uma alimentação viva ela seja o mais balanceado possível pois os erros cometidos com uma dieta mal feita podem ser irreversíveis.

Ponto em questão

Nutrição Viva crudívora

Nutrição Tradicional

Publico alvo

Pessoas que buscam uma forma alternativa de nutrir o corpo, pessoas que acreditam nos seus instintos. Pessoas que não encontraram soluções para seus problemas na forma tradicional de se alimentar, 80% das pessoas que se tornaram crudívoras estavam com problemas de saúde. Como o depoimento das pessoas que se tornaram crudívoras curaram algumas ou quase todos os problemas de saúde é uma dieta que está fortemente relacionada com cura.

Público em geral. Pessoas céticas que acreditam mais na ciência. 70% das pessoas que buscam um nutricionista estão com problemas de obesidade.

Exemplo

As pessoas que normalmente seguem a dieta viva são pessoas que passaram por um problema de saúde normalmente grave e precisam de uma resposta rápida.

A nutrição tradicional não pode dar as respostas pois os estudos que embasam a nutrição tracional não podem prometer cura. Mas como as pessoas estão desesperadas e a ciência da nutrição tem que dar passos lentos pois ela não pode errar, uma vez que se existir o erro por parte do profissional ele será culpado talvez processado, e talvez perca seu diploma. Os passo lentos não são por causa de ser embasada em fatos científicos e isso leva tempo. O estudo de uma teoria nutricional em uma universidade para que seja estudado ele tem que isolar ingredientes e aplicar a dieta a um grupo de pessoas e a resposta talvez diga se funcionou ou não. Por exemplo

Funciona na prática?

SIM, depende.

SIM, depende.

Exemplo

O simples fato de observar o que comemos já traz resultados positivos. Mas não existe uma dieta para todas as pessoas e para aquelas que não se adaptam, acabam se sentindo fracas mas na verdade o problema é que muito estudo ainda ter que ser feito.

O grande problema da nutrição tradicional é que o nutricionista  precisa pedir exames para saber o que o paciênte precisa, qual o problema real, é hormonal, é emocional, é físico? e os exames que respondem estas perguntas somente podem ser marcados por médicos. Então o profissional de nutrição não pode fazer muito. Por isso a fama de nutricionistas que imprimimem a mesma dieta para todos. Pois como foi dito a nutrição tracional está embasada em estatísticas. Linhaça funcionou para 95% das pessoas com obesidade testas então pode ser recomendada para obesos. Como a grande maioria que busca um nutricionista é por problemas de estar acima do peso elas acabam sim recebendo dietas muito parecidas.

Segue uma dieta

Não

Sim

Exemplo

A nutrição viva não segue dieta. Ela segue vontades. Hoje está com vontade de comer manga se come manga. Hoje encontrou uma maça deliciosa comemos maças. Ela tira do cardápio qualquer coisa cozida e ser for vegana crudívora qualquer coisa de origem animal. O que impede um crudívoro de comer mais que dveria não é a restrição calórica e sim as fibras dos alimentos. Como não se usa nada refinado sem fibras não é humanamente possível comer mais que cabe no estômago. Não existe controle de quantidades somente da temperatura no preparo do alimento.

O que embasa uma dieta feita por um nutricionista tradicional é o cálculo calórico. Gastomos 2mil calorias, se comermos 3mil vamos engordar, se comermos 1,5mil vamos emagrecer.

Principais problemas

Não existir restaurantes ou lojas que vendam este tipo de comida pronta.

Muitas informações contraditórias sobre o mesmo tema

Na prática são poucas as pessoas que vão a um nutricionista, menos ainda as que vão e se sentem escutadas, se você diz que é vegano a um nutricionista ele vai tentar de convencer que você deve comer peixe pelo menos. Ovo também seria ótimo.

Apenas um nutricinista vegano vai te motivar a seguir com sua dieta e oferecer um cardápio com opções atrativas.

Poucas as pesoas  que tem disciplina para seguir uma dieta apenas baseada em restrições.

“É mais fácil alguém mudar de igreja que mudar a dieta”
Pelo fato do alimento ser algo mais cultural que nutricional, que ambas as nutrições tem dificuldade de colocar na prática.

Base científica

Fraco

Forte

Exlicando melhor

As pesquisas feitas pela nutrição viva são privadas, ou seja são empresas, que financiam as pesquisas, eles não publicam, estas pesquisas, usam os resultados para provar ou vender seus serviços e produtos. Eles retém as informações e só mostram se forem questionados por orgãos de saúde pública. Eles já geram lucros o suficiente para não ter que publicar suas teorias em 3 revistas científicas de renome, eles não se importam com estes requisitos acadêmicos.

As pesquisas feitas pela nutrição tradicional são sérias e confiáveis. Elas não tem como finalidade vender algo no final. Elas estão preocupadas em seguir os requisitos acadêmicos e institucionais pois sãpo regidas baixo regras severas de controle. São transparentes e acessiveis por quem sabe encontrar claro.
Uma teoria nesta linha de nutrição somente entra no campo prático depois de muitos estudos.

Comentário

O grande problema das pesquisas da nutrição atual é que elas estão baseadas em fatos atuais, já a nutrição viva, busca aportes teóricos mais históricos mais amplos conhecimentos de populações locais sobre determinadas ervas, estudos baseados em medicinas antigas como a chinesa e a indiana. As pesquisas da nutrição viva são limitadas em tabelas nutricionais e resultados empíricos e práticos. Não visam um estudo mais afundo sobre bio-disponibilidade ou bioabsorção. São poucos os centro médicos e nutricionais no mundo que tem estudo amplos para comprovarem o que seus donos e sócios saem falando pelo mundo afora em suas palestras e seminários.

Os dados apresentados pela nutrição tradicional são repasados e publicados a nível mundial.
Os dados apresentados pela nutrição viva são a nível local, baseado em experimentos dos pacientes que frequentam seus centros, spas, clínicas e consultórios, uma vez que os únicos aportes científicos desta linha de alimentação são provenientes de médicos e nutricionistas que vem trabalhando seus resultados e observações

Defente o uso de produto de origem animal

Apenas 5% dos crudívoros comem produtos de origem animal. 95% são veganos extritos. Podem até comerem alguns alimentos cozidos mas muito raramente carne ou leite ou ovos.

A nutrição viva segue a linha da preservação das enzimas, ou seja o alimento não deveria passar por nenhum tipo de aquecimento superior a temperatura de bio-ativação das enzimas que é algo em torno de uns 42ºC.

A nutrição tradicional é onívora. Ela defende que uma alimentação balanceada tem que ter produtos de origem animal

Explicando melhor

A relação tradicional nutricionista e paciente vai contra a linha da alimentação viva, uma vez que ela é institiva, ela busca gerar no paciente uma auto-pesquisa, ela promove um auto-reconhecimento afim de que o próprio paciente seja capaz de saber qual alimento deve comer qual não deve, com qual frequência e intensidade. A individualização nesta dieta é o mais importante. Teores pré-estabelecidos de gordura, carbohidratos e proteínas perdem o sentido na nutrição viva, estes macro nutrientes passam a serem chamados de :
Proteínas: Cereais, folhas verdes.
Gorduras: Nozes e abacates
Carbohidratos: Frutas e ou raízes.

É inegável que o poder de milhões de estudos científicos fazem da nutrição tradicional mais confiável.
É inegável que a busca da alimentação original do ser humano, fazem desta linha de alimentação mais coerente, simples, efetiva, e de serto ponto de vista atualizada, pois ela acaba suprindo mais as necessidades das pessoas de não ficarem mais doentes enquanto que a tradicional, seque a mesma forma de pensar da medicina atual, resolver o problema e não evitar que o problema apareça. Hoje as consultas nutricionais são apenas para resolver problemas. Os médicos das mulheres e os dentistas já conseguiram que seus pacientes façam uma visita rotinária coisa que os nutricionistas ainda não.

Os nutricionistas desta linha de alimentação acabam se tornando chefs, pois o grande desafio não está em colocar estes alimentos na prática e sim em como colocá-los,ou seja, como tornar possível uma dieta tão restrita em termos sociais, calóricos, proteícos na prática com ciência e sem riscos para o indivíduo que acaba de optar por uma filosofia de vida e não uma dieta propriamente dita.
Forma de escrever um livro ou artigo

Grande parte dos livros e artigo científicos desta linha de alimentação não sitam fontes, inclusive os meus, primeiro porque não sabem fazer, segundo não interessa. Um professor de uma universidade quando escreve um artigo ele tem um nome a zelar e tem que seguir regras para escrever artigo a um nível científico. Nesta linha os artigos científicos estão guardados a 7 chaves e só são liberados se alguém processar ou mandar mostrar, por livre e espontânea vontade eles não mostram. Somente os livros escritos por cientitas e médicos que estes sim sabem fazer.

As fontes são guardadas pois fazem parte do segredo, dos autores, pois é assim que eles escrevem livros e artigo, se eles pagam de seus próprios bolsos, pesquisas científicas para dar suporte a seus livros, porque eles vão entregar as fontes?
Recentemente saiu a tona um livro muito polêmico que está gerando milhões para o autor, suas palestras custam R$150.000 reais. Ele se tornou em um dos líderes na alimentação viva no mundo. Ele defende o uso do chocolate, melhor a semente do cacau, como usu diário. Causando um tipo de dependência em seus seguidores que compram, compram. Quem não quer tomar de café da manhã pudim de chocolate?
Se você compara as tabelas nutricionais que ele patrocinou com as que são liberadas pelos melhores livros de nutrição do mundo, você percebe que tem algo de errado. Não as mesmas. Mas ele fez os estudos com a sementes crua, “viva”, as concetrações de nutrientes são maiores. Ele sai pelo mundo afora vendendo cacau de suas fazendas espalhadas pelo mundo dizendo que é a maior fonte de anti-oxidante do mundo, maior fonte de magnésio, cálcio e outros minerais e metais. Ele diz que é uma fruta que dá o ano todo e por isso é um sinal de Deus que deve ser consumida o ano todo.
Principal diferença prática
Escuta o paciente, prescreve uma dieta normalmente restritiva, para tentar solucionar um problema de saúde que pode ser solucionado através do alimento, mas que torna a vida do paciente mais chata do que estivesse com os problemas anteriores.

Gera um afeto paciente, alimento onde este passa a tratar o alimento com sentimento de respeito e admiração por ser um alimento vivo, esta relação acaba voltando para a pessoa onde esta passa a cuidar-se mais. Não restringe apenas diz o que é vivo e o que não é e pessoa faz sua própria escolha do que comer, quando como, pra que comer.

Comentário:
A nutrição atual tenta oferecer um cardápio mesmo que não seja o mais efetivo, com algumas resalvas para tentar fazer possível que o paciente siga a dieta prescrita.
A nutrição viva, cria um cardápio tão restrito no ponto de vista variedade e tão amplo no ponto de vista quantidade que qualquer “saída” da dieta faz com que seja imperseptível.
A nutrição viva cria um benefício tão intenso a curto prazo que o próprio paciente não quer mais sair da dieta pois ele passa a sentir na pele o quanto o corpo paga por não se alimentar de alimentos vivos.
A desintoxicação e tão intensa que o próprio paciente começa a vivenciar a teoria de que somos o que comemos. Ele cria um nível tão alto de restrições que o seguimento da pior maneira possível de um cardápio vivo ainda é melhor que o seguimento severo de um cardápio morto.

Como a nutrição tradicional sabe extamente o que está fazendo pois um bom nutricionista não seque só o que o paciente fala de si mesmos ele tem parceria com médicos para poder pedir exames e entender de fato que está passando com o paciente, sendo assim ele não erra. Pois sabe o que está fazendo e sabe individualizar melhor.
Na nutrição viva como ela é mais empírica, a individualização se torna mais difícil, abrindo margens para erros. Na nutrição viva o próprio paciente monitora o desenvolvimento, na tradicional o nutricionista acompanha, para pessoas completamente desconectadas de seus corpos a nutrição viva pode errar grave.
Mas para pessoas que respeitam o corpo querem mais da vida que sentar e comer, a nutrição viva funciona muito bem, pois a própria pessoa escuta o corpo e sabe está ficando mais cansada que antes, se está aparecendo fungos ou não, se a pele está mais oleosa ou não, se está sentindo mais frio que antes, se está dormindo melhor. Pesssoas desconectadas de seu próprio corpo não sabem sequer responder estas perguntas.
Qual o grande erro, das duas partes?
Arrog

Todos as pessoas vegetarianas que já foram em um consultório de um nutricionista, sairam de com a frase: “você não pode ficar sem comer carne, nem que seja peixe você deveria comer”
O nutricionista tradicional não entende que o paciente não está só preocupado com o corpo dele e sim com o planeta, o sentimento dos animais, por questoões espirituais, cada vegetariano tem sua razão pela qual se tornou vegetariano e não quer ser questionado, principalmente por que ele está pagando para resolver um problema, que é tornar a dieta vegetariana mais saudável possível já que a carne é tão importante assim.
Alguns nutricionista até brincam de mal gosto claro, por que isso que ta magrinho sem músculo.

Eles nem sequer escutam, por isso as pessoas preferem me perguntar o que fazer com o problema de saúde delas do que ir a alguém que está 5 anos no mínimo mais qualificado que que eu como cozinheiro.
Agora por outro lado, um nutricionista especializado nesta linha de alimentação, que a princípio não existe e normalmente são pessoa como eu que se tornam públicas e acabam recebendo perguntas como se fosse, ( eu nunca respondo nenhuma dúvida no plano pessoal), mas lídere americanos nesta linha de alimentação respondem como se fossem e colocam no final de seus websites:
“Qualquer problema em colocar na prática qualquer uma das infomações deste website é de sua inteira responsabilidade”
Como se isto bastasse.
O grande erro dos líderes desta linha de alimentação no mundo erram quando pensam que só porque funciona para eles vai funciona para seus clientes e compradores de seus livros.
Por exemplo hoje nos Estados Unidos tem 6 líderes que se destacam nesta linha de alimentação, e cada um deles tem opiniões diferentes sobre o percentual de gordura, proteínas e carbohidratos que se deveria ingerir para conseguir as calorias diárias. Eu diría que 2 deles defendem as proteínas, 2 deles os carbohidratos e 2 deles as gorduras. E cada um deles tem argumentos sólidos e coerêntes para definir suas posturas, mas nenhum deles é formado em nutrição.
Todos eles tiram suas conclusões apartir de pessoas que se internam em suas clínicas, ou centros e pagam algo como R$10.000 no mínimo e se vc ficar em 3 destes centros você vai ter 3 menus completamente diferentes. Pergunto qual deles está certo? Nenhum deles, todos eles.
Nenhum deles pois a nutrição funcional que seria a versão mais moderna da nutrição tradicional diz bem claro não se deve generalizar nada. Cada pessoa precisa de um tipo de dieta, e para saber qual a sua, só exames sérios, feitos de forma sistemática podem responder com precisão, ou auto-observações práticas individuais.
Risco você não corre de provar todas elas, pois tudo é comida, orgânica, fresca e preparada com amor. Mas pode ter ao querer colocar estas dietas na prática por longos períodos. Sendo assim o primeiro seria escute seu corpo, faça uma boa amizade com um nutricionista e um bom médico, visite regurlamente, e sempre leve notícias atualizadas de seu corpo que te fala todos os momentos como as coisas estão indo. Eu ainda não consegui achar um bom médico que me escutasse, meu irmão que é nutricionista e médico, já quiz me internar no início e hoje me chama para falar de alimentação viva para seus pacientes, mas eles mesmo não segue muito esta linha de alimentação e sempre me pede 3 publicações científicas antes deu falar qualquer coisa.

Resumo
Considerações finais
Que o ovo foi considerado e ainda é um super alimento isto ninguém questiona, o que niguém faz compará-lo com outros alimentos, mas baratos, mais nutritivos, e com menos problemas ambientais envolvidos.
O que questionamos principalmente é o fato da coerência alimentar. Se ele fosse feito para seres humanos, não teria um cheiro tão repugnante para nós humanos e tão atraente para os lagartos, cobras e gambás. O cheiro que o corpo humano exala após o consumo de ovos nos me mostra que o odor deveria ser nosso primeiro indicativo de que este alimento não deveria ser consumido por humanos. Que ele teve seu papel importante e ainda tem em comunidades de baixa renda também é indiscutível, mas com as facilidades de hoje de se conseguir alimentos frescos e de maior valor nutricional e a um custo menor torna estea alimento como um alimento não ecoLÓGICO
www.comidaecologica.com.br

Deixe seu comentário!

DEIXE SEU COMENTÁRIO...

* Campos obrigatórios

 Gostaria de receber nossas receitas ?